O Fim da questão: SIM ou NÃO?

 

O Fim da questão: SIM ou NÃO?

 

Ninguém gosta de ser percebido de forma desagradável. E quando essa percepção acontece no ambiente corporativo, menos ainda. É exatamente nesta armadilha que muitos de nós caímos quando temos de dizer um não, pois de duas uma: ou dizemos da forma errada e somos mal compreendidos, ou, por medo da rejeição, dizemos sim para tudo e perdemos a credibilidade. 

Saber dizer não de forma inteligente é uma habilidade de negociação, que chega ao ponto de ser uma arte. O quanto você domina essa arte? 

Há um conjunto de ferramentas essenciais para sobreviver sem perder a credibilidade no mundo corporativo, nem a popularidade. Porém, essas ferramentas apenas estão acessíveis aos que reconhecem que precisam fazer algo diferente do modo que agiram e reagiram até então. 

Seja pelo medo de desagradar aos outros, por insegurança ou então uma sensação de que negar algo possa parecer egoísta demais e que no mundo em que vivemos mais “SIMs” deveriam ser dados. O mais importante não é a origem do sim descabido, mas a coragem de dar o não tão preciso. 

Porém, tudo tem um preço. E o excesso dessa generosidade infundada pode trazer problemas sérios para quem a pratica, como perturbações mentais e inseguranças na carreira.  Soma-se isso ao famoso “jeitinho brasileiro” em que quase sempre quase tudo é possível e torna-se praticamente inviável dizer não a tarefas e a pressões que não lhes dizem respeito.

E assim, pouco a pouco, a armadilha fica a espera da próxima vítima: você! Você que assume de corpo e alma mais e mais compromissos e tarefas que o afastam do seu foco, das suas prioridades e talvez até da sua família. 

Então chegam mais algumas consequências: a ansiedade e o estress; ambos em um círculo vicioso que obriga as pessoas a trabalharem além do horário, a pularem a pausa para o almoço, a perderem precioso tempo fazendo coisas, muitas vezes, desnecessárias.

Por isso é tão urgente que se escolha a melhor forma de dizer não a tudo que pode afastá-lo de seus verdadeiros propósitos. Para isso, nós da up Training Company temos duas dicas para que você reflita (e aja o quanto antes) a respeito:

  • Diga NÃO PARA SEMPRE.

    Para sempre é forte demais? É, mas você apenas usará essa medida quando a demanda confrontar claramente com os propósitos de seu cargo. Observe que a palavra é propósito, e não escopo de trabalho, pois sabemos que precisamos diariamente nos reinventar e oferecer flexibilidade para aprender algo que talvez não esteja no nosso escopo. Já propósito é diferente, diz respeito à razão de existir, ou seja, uma missão a cumprir. Esta negativa definitiva deve ser dada com firmeza, mas de forma delicada e gentil. E sempre que possível, sugira outra alternativa para a pessoa que fez a solicitação.

  • Diga NÃO POR ENQUANTO.

    Se a situação pode ser administrada mais rapidamente lembre-se sempre de agendar para quando poderá dedicar-se ao assunto.

    Em ambas as situações lembre-se de que o não deve estar sempre acompanhado da sua justificativa. Caso contrário, poderá parecer desinteresse ou desrespeito. E se você realmente sabe porque está dizendo não, será muito fácil explicá-lo.

    Aprender a dizer não será a melhor garantia de que você dirá sim às coisas certas, que realmente contribuirão para o crescimento da organização e da sua própria carreira.

    É indiscutível que negociação significa, também, saber dizer NÃO. Tenho certeza de que você quer ser considerado um bom negociador, portanto este pode ser o fim da questão: SIM ou NÃO?